15.3.12

Alegro-me



Alegro-me com seu cheiro ao alvorecer
Com seu sorriso calando-me
Com suas mãos percorrendo-me
Com sua boca buscando-me

Alegro-me com sua face rosada
Com seu jeito terno
Com sua futilidade
Com seu frescor ao ocaso

Você é meu doce pecado
Meu sonho reinventado
Meu elo perdido

Meu segredo guardado
Meu sacrifício recompensado
Meu silêncio rompido