21.10.09

Que Belo




Que belo
Ela dança
Entre os anjos
Que belo!
Que triste
Soaram os sinos
Que triste!
Que triste
Ela morreu
Que triste!
Lágrimas não bastam
Tampouco todo seu amor
As mãos fortes e tremulas
A sufocam
Tiram-lhe o ar
Tiram-lhe os sonhos
Tiram-lhe tudo
Tudo!
Ele a beija
Sedento de amor e desespero
Perdido em um caminho sem volta
Ele busca palavras
Que não tem
Ele chora
Ela chora!
Ele leva as mãos ao peito
Grita de desespero
Os anjos não parecem ouvi-lo
Mas ela sim
Ela sim!
Seus lábios esperam
Por um beijo
Seu coração
Quer libertar
Todo o amor
Contido
Escondido!
Ele a busca com firmeza
Ela se volta
Que bom
Que veio
Ela sorri!
Seus passos são largos
Na estreita rua
Banhada pela escuridão
Ela não o vê
Os olhos dele seguem os comprimentos recebidos
Os olhos dele seguem todos os olhares
A ela dados
Ela se deslumbra
Ele arde de ódio
Ódio!
Que belo.
Soaram os sinos
Que belo!
Depois das longas palmas
Recolhem-se todas
As pétalas
Do fim do espetáculo
Levemente ela toca
Seus pés nas nuvens
Suas mãos deslizam
Seu corpo se inclina
Que alivio
Acabou!
Rostos estranhos estão a sua frente
Carregados de sentimentos, sofrimentos, desapego
Que estranho
Ela sente!
Suas mãos buscam as mãos seguras e frias
De seu par
Seu sorriso está escondido
Mas sua decepção
Ela vê!
Ela dança
Em um suave levitar
Ela cai
Que inevitável
Ela cai!
Levemente ela desliza
Vai de um lado a outro
Todos os olhares acompanham
Sua 'alma'
Ela treme
De horror!
A seu corpo
Pertence uma áurea de estrela
Ela é absoluta
Ela é única
Que triste
Única!
Ela dá o primeiro passo
Sussurra proteção
Ela gira, lindamente ela gira
Seus pés cortam o ar
Desenham o belo
O sagrado
A arte!
De pé
A ansiedade toma a todos
Que compartilharão os aplausos
Até o soar dos sinos
Dos sinos!
Abrem-se as cortinas
Enfim
Abrem-se as cortinas
Púrpuras cortinas!
A espera é longa
Ela disfarça
Sorri
Reza
Ela reza!
Em passos largos
Caminha em direção
Ao palco
Tão feliz
Tão feliz!
Seu rosto e coberto em áurea brilhante
Seu corpo envolvido
Em véus de estrela
Que linda
Que linda!
Enfim
Hoje soaram os sinos
Enfim!