30.11.07

"Anjo-I"


Ontem a noite - um anjo colocou-se a minha frente
Veio dar conta: da minha volúpia
Pediu-me suplicas
Dei-lhe dúvidas
Ontem a noite - um anjo deslizou por minhas memórias
Lembrando-me da pena divina
Lastimei sua aflição
Ontem a noite - um anjo proferiu-me seu amor amainado
Implorei por sua insanidade
Ontem a noite - 'o anjo' ofereceu-me salvação
Disse que precisava de absolvição
Então - o anjo voou sobre a minha fé
Restou-me
A borrasca do vento norte
"Viviani Ketely"

21.11.07

All that I have.


The window is wet, the roses died.
The sun woke up me this morning.
The night is still above me.
The children are playing behind the house.
I already locked the doors.
Please turn on the light.
I need darkness.
Leave me alone, bring me you.
Wait for me, go now.
All is confused, all is sure.
To cry or to smile?
I don't know.
No picture is real.
No dream's is lost.
The time hoped is the minute we lose.
The secrets hidden are the dreams revealed.
You are nobody for me.
But you are...everything what I have.
"Viviani Ketely"

17.11.07

"Lembre-me"


Não esqueça: de lembrar-me
Que não devo partir durante a noite
Tampouco ficar sem ter contigo durante longos dias
Faça-me jurar
Que serei teu para sempre
Ao contrário de ti.

Mande-me assinar
Um termo de compromisso
Diante de um sisudo homem da lei
Que todos os dias: lhe trarei uma 'rosa'
Por mais que me custe.

Por Deus eu prometo todas as tolices que me pedes
Caminhar entre as flores, andar de mãos dadas
Desenhar corações na areia
Reparar na tua roupa, gostar de teu cabelo
Lembrar a ti todos os dias
Que es perfeita.

Como você quiser!
Dançaremos ao luar
Comprar-lhe-ei bonecas
Falaremos do meu passado
Eu lhe juro
Pedirei perdão pelo que fiz
E pelo que tu insistes em dizer que fiz.

Serei teu escravo
Acorrentado em teu corpo de ninfa
Sedento por tua boca
Clamando clemência
A ti que es a razão
De minha existência.

Serei um menino
Diante de tua força
Esconder-me-ei
Por trás de teus cabelos
Dentro de teus olhos de deusa absoluta
Buscarei proteção.

Deitarei-me na areia a tua espera
Confessarei alegremente as estrelas
O eterno suplício, a que me obrigas
Por ti querer tanto
Prometo confessarei.

E tu
Conduziras meus desejos
Ao prazer dos teus
Murmurarei em teu ouvido
Que es a única
Que jamais ouve ninguém
Que amei, como a ti
De todas às verdades que lhe foram ditas
Esta e única que vale
Ser lembrada.

Chorarei a cada partida
Por mais breve que dure
Serei forte
Não vou lamentar
Enxugarei tuas lágrimas
As compreenderei, sempre
Sabendo que não são para mim
E sim por mim.

Brincarei de ti possuir
De ser teu dono
De fingir que não me incomodo
Com o teu tão presente abandono
Absolverei toda a tua culpa
Serei sua vítima passível.

Lembrarei a todo momento
Que sou um homem de sorte
Que o deserto trouxe-me você
Direi sempre que es a mais bela
Entre todas as black íris
A mais perfeita montanha de Wadi Rum.

Em troca!
Quero o teu sorriso
Teus sonhos infantis
Tuas tardes livres
E todas as falsidades e mentiras
Que saem de tua
Inocente boca.

"Viviani Ketely"

9.11.07

"Rascunhos"



Caminho por minhas memórias
não posso voar
não me lembro como fazer!

...A vida
derrama-se em dúvidas
não há uma segunda chance.
A vida
derrama-se em enganos
não há respostas.
Palavras não duram
do outro lado
serão apenas rascunhos
da nossa existência.

"Viviani Ketely"

7.11.07

"Amo-te"




Te amo mesmo quando suplico-lhe por sua partida
Te amo mesmo quando chorando tu me impedes de ficar
Te amo mesmo quando de dor lhe tenho ódio
Te amo mesmo quando de ódio lhe tenho amor

Amo-te a cada despedida
Amo-te a cada singrar
Amo-te a cada não
Por todos os sim, Amo-te


Te amo por sua boca serena
Te amo por sua pela cálida
Te amo por sua tibieza

Amo-te sobre as brancas verônicas
Amo-te sobre as macias açucenas
Sob a inépcia, Amo-te.
Autora: Viviani Ketely

"Escalpo"


O escalpo anuncia: o atormentar das horas.
O mal abraça os seus: na porta do inferno.
Asas negras: baterão a tua porta.
Olhos amarelos: verão tudo
nada poderá ser escondido.
Agarre-se em sua ânsia, não pense.
Ou sucumbirá ao terrífico.
Desejo que não consigas,
sei que gritará de suas profundezas,
o nome de tua vítima.
Ela servirá a tua morte: em vales escuros.
Tu beberás a seiva: da ruptura terrena,
pungirá na podridão de teus desejos.
Encontrarás todas as tuas vergonhas,
enfronhará teu pacto.
Atenuará teus gritos: com suave veneno,
que há de escorrer lentamente por tuas vísceras.
Aquilo que se tem: é o que se pede.
O que se recebe: e o que será cobrado.
O medo – alimento.
O sangue – refresco.
O corpo há de aquecer – a morte há de findar.
Autora: Viviani Ketely

5.11.07

"Mentiras"


"Todos somos iguais"
Diga ao bater as portas de um palácio.
"Siga sempre teu caminho"
Qual?
"Não mintas"
Fale sempre a verdade diante de teus inimigos
"A paz é o que importa"
E o que costuma sair da boca dos ditadores
"Adultério e crime"
Por que perdoas? Por que traís?
"Não inveje as coisas alheias"
Tire os olhos daquilo que não é teu
"Todos merecem o céu"
Repita quando estiver no inferno
"Não seja orgulhoso"
Aceite o gozo alheio
"Tenha fé"
Não esqueça dela no enterro de teu filho
"O pouco basta"
Festeje quando não sobrar sequer um naco de pão
"As mães são sagradas"
Mesmo as que abandonam
"Sou livre de preconceitos"
Pare de separar povos: por raças
"Não insulte"
Portanto aceite de bom grado, as dirigidas a ti
"Não revide"
Ofereça sua 'cara' com prazer
"Meu pai, meu herói"
Sempre, mesmo quando não souber quem é o teu
"Nada vale mais que um sorriso"
Principalmente daquele que ti venceu
"Lágrimas traduzem a verdade"
Mesmo a dos traidores
"Cada um têm aquilo que merece"
O que realmente se merece?
"Que o homem não separe aqueles que Deus uniu"
Viva infeliz
"O amor é eterno"
Diga adeus sorrindo quando for abandonado
"O dia é belo"
Mas os apaixonados sempre esperam pela noite
"Se vive apenas uma vez'
Não carregue contigo lembranças das 'outras'
"A saudade dói"
Apenas em quem fica
"Aceite teu destino"
Toma para ti todas as dores

"Sempre haverá alguém a teu lado"
Se não encontrar a 'mão amiga' na hora da tua morte, lamente-se sozinho
"Deus é único"
Verdade! Então porque dividi-lo em tantos crédulos?
"Diga sempre a verdade"
Mentira!
"No abandono ou no tormento encontras força para prosseguir"
Verdade?
Autora: Viviani Ketely

"Lua"



Caminhe lentamente
Sobre meu corpo
Dê-me suas mãos
Brancas
E seu beijo doce
Sob a lua densa
Nua
Calada
Ame-me.
Como a mais perfeita
E cálida
Homenagem
Caminhe por entre
Os vales escondidos
De minha alma.
Emudeça meu silêncio
Refresque meu corpo.
A lua trará lembranças
Desta longínqua noite
Que se banhou
De tolos pensamentos
Em serenata.
Que se faça branca
A branca áurea
Sobre nossos corpos
Perdidos e incompreendidos
Refugiados em encantamento.
Guie meus lábios
Em direção aos teus
Entrelace minhas mãos
Nas suas úmidas
E brancas mãos.
Absorva os segredos
Da lua
Ela admira sua coragem
Ela contempla
Nossa adorável tolice.
Nesta noite serena
Branca e cálida
Somos perdoados
Pelo céu, por sermos

Apenas um.



Autora: Viviani ketely

4.11.07

''O Menino do Deserto''



O MENINO DO DESERTO
''morto ao alçar a voz''
Amor.................alenta-te
Amor.................................levanta-te


O menino do deserto
perambulava solitário fincando os pés na areia
falando do céu e de escorpiões
trazendo miseras e suadas tâmaras
deslizando como um anjo entre as brumas arenosas
brincando próximo ao minarete
suflando o vento
percorrendo uma rua sem volta


Menino
não me diga que os rios não correrão mais
que se afogarão em areias
não me diga que se perde
aquilo que não se tem
não me deixe levar por seus tolos pensamentos
reais


Menino não me diga que as almas
desaparecem nas montanhas
onde renascerão na noite seguinte
não me diga que a fé não
nos irmanará
não me diga que desiste
de mim

O menino do deserto
brincava de vida
destinava comiseração
arfava-se de dor

O menino do deserto
desenhou o celerado
acenou sorrindo
até verter
a vermelha fé

Amor.................regresse
Amor................................leve-me
..............................ao fim.

Autora: Viviani Ketely